[leia] Pr. Silas Malafaia ferveu debate sobre Estado Laico na Globo.

Pastor Silas Malafaia marcou presença no último programa ‘Na Moral’, da Rede Globo, exibido na noite desta quinta-feira (1º). Sobre o tema ‘Estado Laico’, ao lado de um padre, um ateu e um babalorixá, pastor Silas não fugiu de nenhuma discussão e levantou questões polêmicas, fazendo jus as suas declarações de que o programa teria um “debate quente”.

“Na Moral” bateu recorde de audiência no horário e foi o programa mais assistido nesta nova temporada. No Rio de Janeiro, a atração marcou 16 pontos e 28%. A marca chegou a ser publicada na coluna da jornalista Patricia Kogut, no site do jornal O GLOBO. O programa teve 35 minutos, um resumo de duas horas de gravação.

Participantes do programa, moderado por Pedro Bial: (à esq) padre Jorjão, pastor Silas Malafaia, Daniel Sotto-Mayor (ateu) e babalorixá Ivanir dos Santos

O debate esquentou de verdade quando o pastor e o presidente da maior associação de ateus, Daniel Sotto-Mayor, davam explicações sobre o aumento do número de evangélicos no país. Sotto-Maior atribuiu o acrescimento à “Teologia da Prosperidade”. “Você pega um sujeito que não tem nada e promete que ele vai ser rico. Quando você vê os evangélicos vendendo a sua fé, esse é o carro-chefe”, disse o ateu.

Pastor Silas reagiu na mesma hora: “Então quer dizer que todo evangélico é rico?! Se a gente vende riqueza e a Igreja Evangélica já tem 30/40 anos vendendo riqueza, então tem um bando de otários que continuam lá!”, disparou.

E a discussão foi além. Daniel Sotto-Mayor acusou os governos que se pautaram pela religião de banhar de sangue e oprimir os diferentes. Ao que o pastor Silas respondeu: “Ninguém derramou mais sangue do que aqueles que eram a favor da anulação de Deus da sociedade”.

“Quem deu banho de sangue na humanidade foram aqueles que tinham o ateísmo como base. A revolução que aconteceu na Rússia, que matou mais de 70 milhões de pessoas, a revolução da China, que matou mais de 50 milhões de pessoas, o Pol Pot, agora lá no Camboja, naquela região. Estes camaradas tinham como doutrina a exclusão total da religião”, disse Malafaia.

Sobre a diminuição no número de católicos no Brasil, padre Jorjão explicou que muita gente se dizia católica e que hoje tem outras religiões, enfatizando que é “melhor que sejam bons cristãos do que maus católicos”. Porém, pastor Silas destacou que o crescimento evangélico acontece graças ao ensino dos pastores. Pois os evangélicos não vivem apenas uma liturgia de culto, mas procuram viver a Bíblia no seu dia a dia.

Ivanir dos Santos, representante das religiões Afro-brasileiras, afirmou que o umbandista tem sofrido preconceito religioso e que a religião tem sido demonizada por outras religiões. Ele também convidou o pastor Silas para participar da Caminhada pela Liberdade Religiosa. O líder evangélico não prometeu que iria, agradeceu o convite e lembrou que os evangélicos já foram alvo de preconceito por parte de outras religiões e que na época não eram convidados para participar de programas televisivos.
Verdade Gospel

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.