[leia] Projeto da Polícia Militar promete organizar trânsito de Apodi e região, inclusive Felipe Guerra.

A partir desta terça-feira, 03 de junho, a cidade de Apodi ganhará um Núcleo de Trânsito que irá atuar na organização do tráfego de veículos na zona urbana do município e mais quatro cidades. Entretanto, a novidade está gerando polêmica e dividindo opiniões em Apodi.

O projeto, de autoria do Capitão PM Marcos Carvalho e com o apoio promotor de Justiça Dr. Silvio Britor, consiste no monitoramento do trânsito de todas as cidades inclusas na área da 2ª Companhia de Polícia Militar de Apodi, afim de evitar acidentes e promover a ordem social.

Segundo o capitão Carvalho, um grupo de militares participaram de um treinamento na cidade de Mossoró, afim de capacitar-se para operar, diretamente, no tráfego de veículos. O grupo composto pelos soldados Nilson, Maia e Edinésio será comandado pelo cabo PM Silva.

A notícia está provocando grandes discussões entre a população. Em conversa com a reportagem do Portal SOS Notícias do RN, moradores da zona rural apodiense relataram não ter condições financeiras de regularizar suas motocicletas, e temem tê-las apreendidas pela polícia, com o novo projeto.

Contrariamente, a classe dos moto-taxistas afirmaram o que o propósito da polícia não irá prejudicar os apodienses. “Só tem a favorecer”, disse Francisco Felipe, moto-taxista a mais de nove anos.

Para o prefeito Flaviano Monteiro, a ideia da Polícia Militar é louvável, mas a cidade não está preparada para um projeto tão grandioso. “O trânsito de Apodi é caótico, isso todo mundo sabe, mas antes de instalar um Núcleo de Trânsito seria necessário organizar toda a cidade. Não somos contra, apenas achamos que, primeiro, devemos fazer nosso dever de casa que é sinalizar”, comentou.

Ao SOS Notícias do RN, o capitão Marcos Carvalho falou sobre o trabalho do núcleo durante os primeiros dias. “Nesse mês de junho, os policiais irão orientar os condutores como devem agir no trânsito, somente a partir de julho é que as notificações serão realizadas e, consequentemente, apreensão dos veículos visivelmente irregulares”, concluiu.

Carvalho lembra ainda que esse é o seu segundo projeto na cidade. O primeiro foi a implantação do uso obrigatório do capacete, que reduziu em mais de 50% o número de acidentes.

Será considerado infração os motoqueiros sem capacetes e com motos atrasadas, condutores menores de idade ou sem habilitação, lacre violado, veículos sem sinalização, entre outros. Os veículos apreendidos ficarão na sede da PM até a devida regularização pelo proprietário.

Fonte: Portal SOS Notícias do RN

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.