IDEB do RN foi o pior resultado, e Felipe Guerra teve nota acima da meta prevista.

A rede estadual de ensino do Rio Grande do Norte teve o segundo pior Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) 2013/2014 do país. O resultado foi divulgado nesta sexta-feira (5) pelo Instituto Nacional de Estudo e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). 

O Ideb é um indicador geral da educação nas redes privada e pública. Foi criado em 2007 pelo Inep e leva em conta dois fatores que interferem na qualidade da educação: rendimento escolar (taxas de aprovação, reprovação e abandono) e médias de desempenho na Prova Brasil, em uma escala de 0 a 10. Assim, para que o Ideb de uma escola ou rede cresça é preciso que o aluno aprenda, não repita o ano e frequente a sala de aula.

Com uma nota de 2,7, o ensino médio das escolas do RN ficou empatado com Mato Grosso e Pará, e só ficou acima de Alagoas (2,6) no ranking nacional. A posição permaneceu a mesma do ano passado. O estado ficou 0,5 abaixo da nota projetada 2013, que apontava o RN com um índice de 3,2.

Apesar do pior resultado do Ideb do Rio Grande do Norte, o município de Felipe Guerra teve seu Ideb acima da meta prevista para 2013. Apesar de ter caído 01 décimo, o Ideb da Escola Municipal Júlio Cavalcante foi de 4.6. A meta prevista era de 3.9. Para 2015 essa meta é de 4.1. Já a Escola Municipal Prof. José do Patrocínio Barra, que em 2011 atingiu a nota de 3,4, dessa vez conseguiu a nota de 3.3. A meta para 2013 era de 3.1. Já para 2015 é de 3,4.

Um dos professores da rede de ensino municipal, Valério de Góis, comemorou o resultado e disse que ainda há muito que melhorar. "O município de Felipe Guerra está de parabéns pelos resultados alcançados pelo IDEB 2014. Haja visto que ainda há muito o que melhorar!. Olhando os resultados gerais, vejo que nossa cidade conseguiu atingir todas as metas destinadas ao ano de 2013 nas séries iniciais e finais do Ensino Fundamental, apesar de uma leve queda em relação aos anos anteriores, haja visto que 97% perderam dois ou três décimos, mesmo assim estivemos dentro das metas desejadas pelo IDEB".

As cidades maiores da região como Umarizal, Assu, Caraúbas, Riacho da Cruz, Viçosa, Tabuleiro Grande, Portalegre, etc., tiveram notas inferiores ao município de Felipe Guerra.
Com informações: Abelhudo News / G1 RN / Facebook de Valério

8 comentários:

Anônimo disse...

De 0 a 10, tirar uma nota de 4,6 e 3,4 isso significa menos da metade da pontuação amigo, ai vem um professor dá os parabéns pôr uma nota ridícula como essa.será que os alunos desse professor consegue passar de ano com essa nota? porque se consegue tá explicado.

Blog Pindoba Notícia disse...

Caro, essa nota não é pontuação pela desempenho na disciplina escolar.

O IDEB mede o rendimento escolar, como as taxas de aprovação, reprovação e abandono. Ou seja, deve levar em conta, vários fatores para ter um resultado final de 0 a 10.

Espero que tenha lido a postagem.

Att,

Anônimo disse...

Não é de 0 a 10, é de 1 a 5 que se mede.

Anônimo disse...

De 0 a 10 é a escada da Prova Brasil. O Ideb é um índice que mede a nota da Prova Brasil com outros índices e vai de uma escala de 1 a 5.

Blog Pindoba Notícia disse...

Havia esquecido de acrescentar mais, "Ou seja, deve levar em conta, vários fatores para ter um resultado final de 0 a 10 na Prova Brasil".

Mesmo assim, Obrigado pela correção!

Anônimo disse...

O Ideb mede a realidade das regiões e das escolas. Se a meta de FG é de 3.1 e as escolas atingem 3.3 e 4.6 é um sinal de que estão indo pelo caminho certo, ou seja. Com o passar dos anos essa meta irá subir. Caso as escolas não acompanhem a meta, aí sim é sinal que há algo errado.

Anônimo disse...

Acho que não temos muito o que comemorar, pois “uma leve queda em relação aos anos anteriores” representa muito. Entendam a média do município caiu em 2012 e 2013 infelizmente.

Anônimo disse...

Comemorar uma nota dessa é ignorância pura!
Pelo amor de Deus, parem de camuflar a realidade, e façam alguma coisa por essa educação falida, caso contrário, até os professores irão voltar às salas de aula e, começando do zero. Agindo assim secretária de educação,maquiando as escolas municipais, o tal selo UNICEF vai ficar cada vez mais distante...
Daqui há pouco, vocês vão ter que prestar contas dessa baixa produção na educação, pois o governo federal está investindo com a doação de ônibus, carteiras escolares, bolsas, etc, mas quer retorno. E aí????????????

Tecnologia do Blogger.