Apodi se mobiliza em favor da vida.

Uma boa causa tem mobilizado a população de Apodi, município situado no Médio-Oeste potiguar. Sensibilizados com a história de Margarete Sousa Martins, 39, grávida de trigêmeos, moradores da cidade se engajam para oferecer doações à família, que tem uma vida singela.

A campanha é encabeçada pelo radialista da emissora educativa Luta FM, Wilson Oliveira. A mobilização acontece desde 5 de setembro. Nesse período, alimentos, fraldas, exames médicos e, até mesmo, um berço foram doados. Wilson diz que o compromisso é manter a campanha até o primeiro ano de vida dos bebês. O radialista acrescenta que, atualmente, a principal preocupação se refere à realização dos partos, visto que o procedimento será mais complexo.

“Nossa preocupação agora é com o parto, uma vez que são trigêmeos. Normalmente, esse tipo de gestação se prolonga até o sétimo mês e as crianças precisam de sondas para se alimentar. Os bebês também necessitam de UTI neonatal e de uma maternidade que ofereça o suporte adequado. Conversamos com a Promater de Natal e aguardamos uma resposta, visto que a unidade é bem equipada. Através da campanha, já conseguimos três ambulâncias, que ficarão disponíveis para transportar a mãe, quando for constatada a necessidade de realização dos partos. Mas, ainda, falta uma maternidade para atender a gestante”, disse o Wilson.

Intitulada “Três Não é Demais”, a campanha segue em busca de doações, que podem ser direcionadas para o radialista Wilson Oliveira, através dos telefones: (84) 9156-3020 e (84) 9820-9649. “Para mim, essa campanha é uma oportunidade de ajudar o próximo e de exercer a cidadania”, disse Wilson.

Na quarta-feira passada, 15, o radialista nos acompanhou durante visita à família dos trigêmeos. A casa simples fica no Sítio Carrilho, localizado na zona rural de Apodi. Aos chegarmos, Wilson entregou alguns itens, como ovos de galinhas caipiras para reforçar a dieta da gestante. Margarete Sousa já teve cinco filhos e conta como recebeu a notícia sobre a nova gestação, que está no quinto mês.

“Eu paguei uma clínica particular, onde fui examinada, e, no dia 5 de setembro, descobri que estava grávida de trigêmeos. Fiquei feliz. Apesar das dificuldades, acreditei que tudo teria uma saída. Na mesma data, eu e minha amiga Alcineide, decidimos procurar a rádio e, desde então, o Wilson tem nos dado esse apoio. Eu acreditei que as pessoas iriam me ajudar”, disse. Questionada sobre o sexo das crianças, Margarete disse que já foram confirmadas duas meninas. Segundo ela, o terceiro bebê, provavelmente, será outra menina.

A família vivia da pesca e do auxílio do Bolsa Família, mas a estiagem secou a Lagoa Apanha Peixe, prejudicando a alternativa de renda. A casa atual foi cedida pela irmã. Na residência própria, situada na Vila Malvinas, Margarete teve depressão e não quer retornar para lá. A rotina da gestante sofreu algumas alterações após a inesperada gravidez. “Minha filha de 19 anos, que é casada, me ajuda nas tarefas do dia a dia. Faço poucas atividades. A alimentação foi modificada. Não posso comer as carnes de porco e de caça”, disse a mãe.

Eilson Martins, 46, marido da gestante, diz estar satisfeito com que a vida preparou para o casal. “Ela foi submetida a exame para verificar se era cisto, mas eram os trigêmeos. Estou satisfeito. Agora, é pedi a Deus saúde para os bebês e também para que possamos criá-los”, declarou. Atualmente, Eílson não tem emprego fixo e se preocupa com a locomoção da esposa. “A pesca acabou. Não tenho trabalho garantido, mas tenho força para amparar minha família. No momento, estou preocupado, porque o sítio é um pouco longe do centro da cidade e temos dificuldades para chegarmos até lá, diante de uma necessidade. Além disso, falta assistência da saúde pública aqui no sítio”, acrescentou.

Para a família, as doações da campanha sempre vêm na hora certa. “A campanha é boa. Eu iria gastar muito sem ter, se não fossem as doações que as pessoas têm nos oferecido. O radialista Wilson tem sido uma pessoa que eu não esperava”, disse Eilson, que tem experiência como pescador, mas possui disposição para qualquer tipo de emprego formal. Para a família, uma vaga no mercado com carteira assinada possibilitaria mais estabilidade.

Dos cinco filhos gerados por Margarete, três estão vivos, aguardando a chegada dos irmãos. Caso do mais novo. Airton Alves, de 8 anos, ficou impressionado ao saber que a mãe gera três bebês. “Fiquei impressionado, mas também feliz. Minha mãe não vai dar as crianças a ninguém. Vai cuidar deles. Que nenhum morra. Vindo com saúde tá bom”, declarou.

Francisco Duarte, 50, já se colocou à disposição para transportar a gestante quando necessário. “Eu gosto de ajudar. Sou pobre, mas tenho prazer de apoiar a quem precisa. A população também precisa continuar ajudando”, disse.
Fonte: Jornal Gazeta do Oeste
Foto: Wilson Moreno

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.