Ataque a cristãos em universidade no Quênia deixa ao menos 147 mortos.

498574-970x600-1Atiradores mascarados ligados à milícia radical Al Shabaab, originária da Somália, invadiram uma universidade no nordeste do Quênia nesta quinta-feira (2) e atacaram estudantes cristãos, deixando ao menos 147 mortos e dezenas de feridos, disse no Twitter o Centro de Operação Nacional de Desastre do Quênia.


As forças de segurança chegaram a isolar os atiradores em um dormitório na Universidade de Garissa, onde pessoas foram mantidas como reféns. Segundo a polícia, o cerco ao local terminou com a morte dos quatro autores do ataque.


Collins Wetangula, vice-presidente do diretório estudantil da universidade, relatou ter ouvido disparos em um dormitório. "Eram ouvidos apenas passos e tiros. Ninguém estava gritando porque isso poderia chamar a atenção dos atiradores", relatou Wetangula.


Os atiradores invadiram os dormitórios perguntando às pessoas se eram cristãs ou muçulmanas. "Quem fosse cristão era baleado ali mesmo", disse o estudante. "A cada tiro que ouvia, eu pensava que iria morrer."


Ele foi resgatado com outros estudantes por agentes de segurança. A Al Shabaab é ligada à Al Qaeda e luta para instaurar um califado na região. A milícia foi incluída em março de 2008 na lista de organizações consideradas terroristas pelo governo dos EUA.


Fonte: Folha de S. Paulo

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.