Artigo de Opinião: A discriminação aos Servidores Públicos de Felipe Guerra em 2006

Quem pensa que as gestões passadas prejudicaram os servidores públicos municipais apenas atrasando vários meses de salários está ludibriado.  Até poucos dias os servidores públicos de Felipe Guerra não sabiam que o projeto de lei cujo objetivo era criar um plano de carreira para toda categoria havia sido extraído da Câmara Municipal pelo ex-prefeito Braz Costa. 

Na reunião recente em que estive presente na Câmara Municipal de Felipe Guerra, uma declaração do vereador Ubiracy Pascoal me deixou bastante intrigado. "O prefeito Haroldo sempre achou uma injustiça só parte dos funcionários terem este beneficio e não implantou ainda por que não recebeu uma prefeitura, recebeu um verdadeiro desmantelo". Fiquei me questionando porque parte dos funcionários tem esse benefício e porque os outros não? Pois bem...

Procurei adentrar no assunto, e constatei que na gestão do ex-prefeito Braz Costa, um pequeno grupo de professores uniu forças e conseguiu aprovar no legislativo projeto semelhante, só que beneficiando apenas esta categoria. Nada contra essa aprovação, mas a questão é que na época, o demasiado egoísmo de alguns somado ao desleixo do gestor Braz Costa teve dupla aplicação: primeiro ao tirar o projeto da Câmara Municipal excluíram de forma preconceituosa o gari; o enfermeiro; o vigia; o porteiro... 

Em seguida, se apropriaram de uma verba financeira que poderia ter sido distribuída de maneira justa entre todos os servidores. No entanto o individualismo e a ganância fizeram brotar a discriminação e a diferenciação desde então. Por essas razões alguns servidores públicos já se aposentaram ganhando apenas um salário mínimo e outros tantos podem fazer o mesmo. 

Não queremos colocar uma classe contra outra. Afinal, vivemos em um estado democrático de direito, onde somos livres para expressar nossas opiniões. Por isso, temos o direito de questionar o que hoje não deveria ser um problema para a classe trabalhadora do município, pois acreditamos que os direitos tem que ser iguais para todos, desde o início que se discutiu esse tema no município.

Se todos têm sua importância para o progresso do município porque somente uma classe deve ser privilegiada em seus proventos? É importante perceber que nesse imbróglio o atual prefeito Haroldo Ferreira deve ser isento e que tais erros pertencem a um grupo que agiu em beneficio próprio. Mas o prefeito Haroldo Ferreira tem razão ao considerar "injustiça"o que foi feito antes da sua administração.

A impostura da armação temperada de segregação sacrificou os demais servidores públicos e aniquilou o direito a uma velhice planejada para vivê-la com dignidade por meio de um salário mais razoável. Agora resta aos servidores excluídos torcer para que o atual gestor tenha coragem e sacrifique alguns serviços de utilidade pública indispensável para atender aos seus anseios aprovando um plano que no passado lhes foi covardemente negado.
Artigo de Opinião: A discriminação aos Servidores Públicos de Felipe Guerra em 2006 Artigo de Opinião: A discriminação aos Servidores Públicos de Felipe Guerra em 2006 Reviewed by Blog Foco Notícia on 14:43 Rating: 5

3 comentários

Anônimo disse...

Em gestões passadas meu amigo não se ouvia falar em plano de cargos e salários para os servidores municipais porque simplesmente os gestores ignoravam tal possibilidade, e digo mais, se servidor fizesse movimentação por atraso nos salários, era perseguido. Se um plano de cargos FOSSE aprovado, digo isso porque não existia essa possibilidade, quando ele fosse apresentado ao prefeito, ele simplesmente rasgava e rebolava na lata do lixo, como muitos projetos que beneficiavam a população felipense. É por isso que esses professores que estão encabeçando esse projeto estão bem "aperreados" para ser aprovado logo, só assim vão cobrar do prefeito mais direitos, coisa que eles durante anos "não sabiam" que tinham ou não tinham CORAGEM para exigi-los. Infelizmente, nós brasileiros, somos um povo que esquece o que come no almoço, se do contrário, Haroldo Ferreira não tinha candidato como adversário nessa campanha de 2016 pelos benefícios que fez e está fazendo ao povo de Felipe Guerra. É bom os eleitores pensar como era o passado, o que está vivendo no presente e refletir sobre a sua decisão que garantirá o FUTURO DE FELIPE GUERRA...!

Anônimo disse...

Me explique pq tem pessoas de carteira assinada com uma função superior. No qual q ela está recebendo um salário mínimo. Onde na carteira dela deveria ser mais?? Acho q tem inversão de valores

Anônimo disse...

O passado serve como lição. Isso é um conceito da própria História. No passado encontramos resposta para o presente. Se Felipe Guerra copiar trouxer de volta a família Costa resgatará a tirania. Tem professor aqui ganhando 5.000 reais sem saber sacar num caixa eletrônico esse valor. Outros entraram no serviço publico através de concurso fraudado. Hugo Costa quando foi prefeito nunca pagou salário minimo a servidor,e sim a metade. Votar é simples, mas algumas pessoas aqui complica. Roubou dinheiro do povo não devemos mais votar pronto!Onde estão os 5,3 milhões de reais que Hugo foi condenado a devolver aos cofres públicos?Como Vitor Costa e sua mãe pagaram faculdade de medicina? Como adquiriram fazendas e mansão na Tibal? Agora depois de 36 anos de oligarquia querem uma chance e pra isso usam o discurso de que devemos esquecer o passado. Sinceramente!Servidor publico foi sim excluído, não cobravam seus direitos porque tinha medo de perder o emprego. Como a maioria é adversária do prefeito, hoje querem fazer políticagem. Por que só agora, justo em ano de campanha? Tá na cara que é políticagem.