PMs alegavam 'aplicar justiça' para executar suspeitos, denuncia MP/RN

Operação Intocáveis foi deflagrada em junho, em Mossoró (Foto: Hermes Castro/Mossoró Hoje)
“Um grupo de extermínio composto por policiais militares que cometiam crimes de homicídio sob a alegação de ‘aplicar a justiça’”. É assim que o Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Rio Grande do Norte, define a atuação de seis policiais militares e um motorista acusados de, pelo menos, 14 assassinatos em Mossoró e outras cidades do Oeste potiguar. Os promotores já ofereceram denúncias relativas a sete assassinatos. A defesa dos PMs diz que ainda não tem total conhecimento das acusações sobre eles.

O G1 teve acesso a essas denúncias. Os documentos se baseiam na investigação da Força Nacional que culminou com a deflagração da Operação Intocáveis, em 22 de junho passado. De acordo com as denúncias do Gaeco, o grupo justificava os crimes como “legítima defesa” e “no cumprimento do dever legal”.

As denúncias, relativas a sete assassinatos e uma tentativa de homicídio, são assinadas por cinco promotores públicos e foram remetidas a um colegiado de juízes formado na 1ª Vara Criminal da Zona Sul de Natal. Como os juízes receberam essas denúncias, os seis PMs e o motorista, que cumprem prisões preventivas, já são réus nos processos. “Essa foi apenas a primeira remessa de denúncias. Outras estão sendo concluídas e serão entregues no tempo legal”, diz o Gaeco.

O advogado Gilmar Fernandes de Queiroz, que defende os policiais militares e o motorista presos, diz que ainda não tem total conhecimento das acusações. "Como somente nesta quarta-feira (10) é que fui legalmente constituído como advogado deles, ainda não tenho total conhecimento das acusações. Conversei com todos no dia da operação. O que sei é que há alguns homicídios sendo atribuídos a eles e que, pelo o que eles me disseram, esses casos têm relação a ações policiais", disse.

O comandante-geral da Polícia Militar, informou que há a possibilidade de os policiais serem expulsos da corporação. "Se for provado que eles agiram fora da lei e forem condenados por isso, há sim a possibilidade de serem expulsos. Temos que aguardar a decisão judicial", falou.

Fonte: G1/RN
PMs alegavam 'aplicar justiça' para executar suspeitos, denuncia MP/RN PMs alegavam 'aplicar justiça' para executar suspeitos, denuncia MP/RN Reviewed by Blog Foco Notícia on 09:22 Rating: 5

Nenhum comentário