“Quem foi desacatado fui eu” diz secretário Heronildo Leite sobre a suposta expulsão da advogada em prédio da prefeitura

Nesta quarta-feira (10), a advogada Nayla Mikarla da Silva Freitas denunciou aos blogues da cidade de Felipe Guerra uma situação que teria acontecido na sede da prefeitura, onde diz ter sido expulsa do prédio por um funcionário, quando chegou junto com sua cliente e funcionária também do Poder Executivo. Nayla contou que foi pedir uma explicação sobre um contracheque da sua cliente referente ao mês de julho de 2016.

Segundo Nayla, ao chegar à instituição perguntou pela pessoa responsável pelo setor ao qual ela queria a informação, mas este estava atendendo o secretário de Administração e Recursos Humanos, Heronildo Leite. A advogada então esperou, mas ao tentar ser atendida o secretário pediu para ela se retirar e voltar no dia seguinte e que inclusive um servidor havia se retirado da sala em forma de indignação. Ela informou que denunciaria o caso à imprensa, polícia e OAB por cerceamentos de direitos.

Confira o áudio:


Versão do Secretário e Professor Antonio Heronildo Leite
Em entrevista a Rádio Centenário de Caraúbas, o Secretário de Administração Professor Antonio Heronildo Leite, disse que a advogada faltou com a verdade em algumas questões dentro de sua versão. Segundo Heronildo, em nenhum momento os direitos da advogada Nayla Mikarla foi cerceado dentro da prefeitura e que jamais faria isso. Negou que tivesse expulsado a advogada e que tinha testemunhas para comprovar. 

Ao não se conformar com as explicações do tesoureiro sobre um contracheque da sua cliente referente ao mês de julho de 2016, o secretário interviu e indagou para o tesoureiro se aquele momento estava impedindo de pagar os servidores. Ao ouvir uma resposta positiva, o secretário então pediu para interromper o atendimento e que ela pudesse voltar em outro momento. Nesse momento começou as discussões.

Além de ser chamado de mal educado, o secretário disse que foi desacatado como funcionário público. “Quem foi desacatado fui eu, pois quem levantou a voz foi ela. Ela rispidamente foi quem mandou as pessoas se calaram", disse. Segundo Heronildo, o funcionário saiu da sala por se sentir constrangido pela pressão naquele momento.

"Eu tenho um profundo respeito por ela. Foi minha aluna. Uma pessoa inteligente. Eu jamais esperava isso da parte dela", disse o secretário. E foi enfático ao afirmar a primazia do governo municipal onde todos indistintamente são tratados com respeito e como prova disso, convidou a advogada para ir  novamente ao setor. "Não temos nenhum problema. Estou para conversar dentro da racionalidade, jamais instigando o debate odioso", disse.

O secretário e professor Heronildo Leite concluiu sua entrevista dizendo que não gostava de aparecer na mídia, mais que se sentiu no dever de repor a verdade. E estranhou os acontecimentos, pois segundo ele, por trás disso estavam querendo politizar o caso.

A Prefeitura Municipal de Felipe Guerra também publicou um comunicado em que considerou os fatos lamentáveis: "A Prefeitura Municipal de Felipe Guerra comunica que os fatos lamentáveis, ocorridos no dia de hoje nas dependências da secretaria de administração e recursos humanos, que envolveram a advogada Dra. Nayla Mikarla Silva Freitas e o Secretário de Administração Professor Antonio Heronildo Leite, já foram devidamente comunicados à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e a Polícia Civil, através da Procuradoria Geral do Município, onde foi solicitado a adoção das medidas legais cabíveis para o caso. A Prefeitura de Felipe Guerra informa ainda que adotará todas as medidas necessárias para a manutenção da ordem nas repartições públicas e integridade de seus servidores públicos no exercício de suas funções".

Da Redação
Foto 1: Santana Notícia
“Quem foi desacatado fui eu” diz secretário Heronildo Leite sobre a suposta expulsão da advogada em prédio da prefeitura “Quem foi desacatado fui eu” diz secretário Heronildo Leite sobre a suposta expulsão da advogada em prédio da prefeitura Reviewed by Blog Foco Notícia on 15:57 Rating: 5

Um comentário

Anônimo disse...

Tem quer ser mostrado algumas pessoas que por ele ser ou ela ser advogado ou qualquer outra formação ,não tem o menor direito gritar ou falta com respeito com o próximo pelo contrario ai que deve se comportar a altura de sua instrução.