Vereador eleito e primeiro suplente travam briga por mandato em Felipe Guerra

Passadas as eleições municipais em Felipe Guerra, onde o grupo de oposição elegeu a penas 4 (quatro) vereadores, informações de bastidores dão conta que o primeiro suplente da coligação “Felipe Guerra Pode Mais”, Lino Praxedes (PSD), travou uma briga com o vereador eleito Pedro Cabral (SDD), para assumir o mandado a partir de 1 de janeiro de 2017 na Câmara Municipal.

Lino Praxedes, que fez uma campanha estruturada e obteve 270 votos, se diz “traído” pelo grupo com o qual já anunciou rompimento.

Já o vereador eleito, Pedro Cabral, que obteve 328 votos, é vulnerável perante a Justiça Eleitoral, na qual possui pendências, uma vez que já se envolveu em escândalos de corrupção, tanto quando exercia mandado de vereador, quanto na sua breve passagem pela Prefeitura, quando foi prefeito interino.

O caso preocupa o grupo de oposição que pretende lançar chapa à presidência do legislativo, pois com o rompimento, caso Lino Praxedes venha lograr êxito contra Pedro Cabral, poderá atuar de forma independente na Câmara, mas também poderá somar na bancada governista.

A possibilidade de Pedro Cabral não poder assumir em janeiro do próximo ano é real, independentemente de provocações ou não, junto a Justiça Eleitoral, da parte do suplente Lino Praxedes.
Rede News 360

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.