Ano novo, vida nova?

Fim de tarde em nossa Felipe Guerra/RN (Foto: Edson Neres)
Nesta postagem diferente das demais, abrimos uma exceção para aproveitar este espaço e fazer uma pequena reflexão de ano novo. Para começar o novo ano com o pé direito por aqui também, resolvi compartilhar com vocês um texto bem interessante.

O texto é do autor  Adilson Silva, e acho que é sempre bom lembrarmos de que somos responsáveis por aquilo que fazemos, por aquilo que nos acontece. E, claro, que somos capazes de mudar nossa vidas para qualquer rumo do horizonte que quisermos.

Ano novo, vida nova?

Nessa época, muitos são tomados por uma euforia pela proximidade das festas de confraternização, embora, vale destacar, a tristeza se acentue para os que estão deprimidos, já que eles não têm o que comemorar. Canções com mensagens positivas e carregadas de sentimento invadem a mídia e embriagam a sociedade de emoção. Grande parte da população acredita que um novo ano por si só pode trazer mudanças significativas para a vida. 

Há os que creem que a roupa usada na virada ou alguma ação supersticiosa também possa contribuir para um futuro melhor. Para estes, vale tudo para garantir um ano novo bom: pular ondas, não comer certas comidas que dizem atrasar a vida e até mesmo carregar na carteira o ano todo objetos que supostamente trazem sorte. Como de costume, na passagem do dia 31 de dezembro para o dia 1º de janeiro muitos abraços são dados e recebidos, acompanhados da famosa frase “Feliz Ano-Novo”. Diante de tudo isso, o questionamento que faço é: quantos estão praticando isso há anos, desde que se entendem por gente, e até hoje nada mudou?

Não é difícil explicar o motivo. É claro que não há mal nenhum em comemorar a chegada de um novo ano, mas é preciso que as pessoas entendam que o tempo por si só não muda nada. Aliás, muda a nossa aparência, pois o nosso corpo está em constante transformação. No mais, o tempo servirá apenas para trazer-nos a colheita de tudo aquilo que plantarmos.

Por isso, é necessário que aqueles que almejam uma vida nova tenham consciência que isso requer mudança de atitudes. Temos que nos empenhar para sermos pessoas melhores. É preciso que façamos um balanço da vida para saber o que deve ser acrescentado ou tirado em relação ao nosso interior. Por exemplo: a preguiça tem de dar lugar à disposição; o medo de errar deve ser substituído pela audácia; os pensamentos negativos e dúvidas têm de ser rechaçados; os que ficam apoiando seus projetos em outras pessoas precisam aprender a agir por conta própria, os maus hábitos têm de ser abandonados; e muitas outras coisas que cabe a nós identificarmos. Só assim nos tornaremos seres humanos melhores, e consequentemente, a vida mudará.

Caro leitor, se você espera que 2017 lhe traga dias melhores, então aprenda a controlar suas emoções, use a cabeça, deixe de lado o conceito de sorte ou destino e arregace as mangas. A vida é sua, o seu futuro não está escrito nas estrelas e nada muda se você não provocar a transformação.

Ano novo, vida nova? Ano novo, vida nova? Reviewed by Blog Foco Notícia on 01:10 Rating: 5

Nenhum comentário