Dirigente da Fifa sugere o fim dos pênaltis, do impedimento e prorrogação

Ex-atacante da seleção holandesa e atual diretor técnico da Fifa, Marco van Basten quer aproveitar seu cargo na entidade para implementar uma série de mudanças nas regras do futebol. Nesta quarta-feira, ele falou sobre suas ideias revolucionárias para a modalidade e revelou que vai sugerir alterações como o fim dos pênaltis, da prorrogação e do impedimento.

"Eu falei com muitos técnicos e jogadores", comentou Van Basten, que defendeu que estas mudanças auxiliarão na preservação do futebol em entrevista à agência The Associated Press. "Nós precisamos promover a qualidade, ao invés da quantidade. Temos que defender os jogadores."

Van Basten se mostrou preocupado com o cansaço dos jogadores. Por isso, sugeriu que cada um deles possa disputar no máximo 60 partidas por temporada. Além disso, quer acabar com as prorrogações após as partidas, e também com os pênaltis. No lugar deles, um sistema de "shootout", utilizado pela Major League Soccer (MLS) em seu início, em que os jogadores são posicionados a 25 metros do gol e tem oito segundos para arrancar e marcar.

"Eu acho que todo mundo está bastante cansado depois de 120 minutos", comentou Van Basten. "Talvez os jogadores pudessem começar a 25 metros do gol e, então, você pode driblar o goleiro ou finalizar antes. Mas você precisa marcar o gol em até oito segundos. Exige mais habilidade e menos sorte. É um pouco mais de espetáculo. É mais futebol, mas você ainda está nervoso pelo jogador."

Também para diminuir o cansaço dos jogadores, o holandês sugeriu que as partidas sejam disputadas em quatro quartos, ao invés dos dois tempos atuais. "Estamos tentando ajudar o jogo, deixá-lo se desenvolver de uma forma boa. Nós queremos um jogo honesto, que seja dinâmico e um bom espetáculo, então precisamos fazer de tudo para ajudar. Os técnicos teriam três momentos com os jogadores durante o jogo."

Mas nem todas as mudanças pensadas por Van Basten têm relação com a preocupação com o desgaste dos jogadores. O ex-atleta, por exemplo, também pediu o fim da regra do impedimento, alegando que a medida tornaria o futebol mais atraente para os espectadores. 

"Eu acho que um futebol sem impedimento pode ser muito interessante. Hoje em dia, o futebol parece muito com o handebol, com nove ou dez defensores na frente do gol. É difícil para o adversário marcar um gol ou criar algo no pequeno espaço que é dado. Então, se você jogar sem impedimento, terá mais possibilidades de marcar um gol", defendeu.

Por fim, Van Basten ainda sugeriu a introdução de um cartão laranja, entre o amarelo e o vermelho, que tiraria o jogador punido de campo por 10 minutos. "Talvez um cartão laranja pudesse ser mostrado e fazer o jogador ficar fora do jogo por 10 minutos por incidentes que não são pesados o suficiente para o cartão vermelho."
Agência Estado

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.