Pesquisar....

Professor usa tribuna da Câmara para promover ataques gratuitos em Felipe Guerra

Quando um professor (com toda importância que tem sua classe) vai a tribuna de um Poder Legislativo municipal, levar uma mensagem à população, no mínimo esperamos desta relevância e coesão. Não foi o que percebemos na fala do professor Elias Bernardino, quando no início da noite de ontem, terça-feira 30, usou à tribuna da Câmara Municipal de Felipe Guerra. 

Aberto o espaço reservado à comunidade, a princípio esperava-se que o objetivo do professor Elias fosse defender o direito à educação, especialmente o transporte dos universitários felipenses, quando parte destes vivem um dilema atualmente. Entretanto, embora para indicar conhecimento e convicção o professor tenha invocado Luther King, Gandhi e Chico Mendes, restou patente que o real objetivo do mesmo foi aparecer, através de ataques gratuitos diretos e indiretos.

Primeiro o professor apontou uma falsa ameaça a liberdade de expressão no município, recorrendo diversas vezes a palavra coronelismo, em um claro ataque indireto ao prefeito Haroldo Ferreira. Depois partiu para um ataque direto a classe dos blogueiros locais, chegando a dizer que nossa atividade tem preço tabelado junto ao Governo Municipal, como se fossemos mercenários. 

Por fim, para camuflar o real objetivo, o professor entrou na questão do transporte universitário, numa abordagem de certa forma inesperada da parte de um profissional de educação, tentando fazer parecer que o Município teria a obrigação de garantir transporte para os universitários felipenses.

O ataque aos blogueiros foi no mínimo contraditório, incompatível com seu discurso no que diz respeito a liberdade de expressão, pilar da democracia. Podemos concordar ou não com aquilo que é publicado pela imprensa, mas fazermos insinuações ou afirmações levianas, as quais jamais seriam provadas, é um grave erro. 

O transporte universitário, nas diversas participações que tivemos em reuniões entre estudantes e representantes da prefeitura, somos cientes que o município não tem responsabilidade com esse transporte, mas reconhecemos que tem cooperado com a classe no sentido de garantir o tão importante transporte, mesmo que ultimamente as condições financeiras do município não têm sido das melhores. O momento exige compreensão.

Não queremos entrar no mérito do que foi decidido entre Prefeitura Municipal e Associação dos Estudantes de Ensino Superior e Técnico de Felipe Guerra nas diversas reuniões que fizeram, inclusive na Câmara Municipal, nem mesmo no que diz respeito à suspensão de rotas para os alunos dos cursinhos (Preparatório ENEM) em razão da não condição de manter dois ônibus. Mas é importante frisar que, na verdade, a rota para os alunos do cursinho é algo novo, sendo criado involuntariamente no Governo atual, e acreditamos que essa rota possa retornar a depender do engajamento político desses estudantes nas ocasiões das Eleições 2020, quando estes poderão defender, junto aos novos candidatos a prefeito e vereadores que, havendo condições, o Município contemple os alunos no cursinho como política de governo. 

As críticas do professor Elias Bernardino, até então era tido como alguém coerente em sua postura no meio social, infelizmente teve muitos equívocos e focou mais em ataques desnecessários do que na busca de solução para qualquer problemática. O espaço reservado à comunidade na Câmara Municipal de Felipe Guerra já foi melhor utilizado. Deixamos aqui o nosso repúdio quanto ao ataque aos poucos blogueiros que ainda restam no município, que querendo ou não, gratuito e voluntariamente, prezam por levar os principais acontecimentos ao conhecimento da sociedade.
Publicidade
BERIKAN KOMENTAR ()