Pesquisar....

Contra bloqueios, trabalhadores da educação realizaram protesto em Felipe Guerra/RN

Em protesto aos bloqueios de verbas impostos pelo Ministério da Educação (MEC), professores, servidores, funcionários, pais e estudantes de instituições de ensino públicas e privadas de todo o país participam hoje da Greve Nacional da Educação. Dia de cruzar os braços e ir para as ruas.

Em Felipe Guerra, o protesto contra o bloqueio de verbas para educação anunciado pelo MEC e contra a Reforma da Previdência que atinge todos os trabalhadores aconteceu na manhã desta quarta-feira (15). Um grupo se concentrou em frente ao Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Felipe Guerra, localizada em frente a quadra estadual. Em seguida, os manifestantes saíram em passeata pela Miraselva, principal avenida da cidade.

Uma pequena parte dos representantes da classe política, Sindicatos de Agricultores, pais de estudantes e trabalhadores autônomos também reforçaram apoio ao movimento.

Os manifestantes usavam paredão de som e cartazes com palavras de ordem contra o bloqueio nos repasses para a educação e contra a reforma da previdência. "É Greve porque a coisa é Grave"; "O que é público pra você? Se é PÚBLICO, é para TODOS! Defender a Educação Pública é defender o BRASIL"; "Sou AGRICULTOR e defendo a EDUCAÇÃO PÚBLICA!"; "Educação é Investimento, não é Prejuízo", dizia alguns cartazes.

Ao longo do ato, várias pessoas usaram o microfone para lançar palavras de protestos contra as medidas do Governo do presidente Jair Bolsonaro.  "Presidente o seu anseio foi armar o povo de bala, pois sabe que armar-los de livros, ao sistema tudo abala, um povo com conhecimento, tirano nenhum cala", dizia um dos versos da poesia feita e lida pelo professor Elias Bernardino (Vídeo AQUI).

Confira algumas imagens:
BERIKAN KOMENTAR ()